299304

Desânimo. É como cerca de 33 por cento dos professores que andam pelo blogue A Educação o meu Umbigo definem o ano lectivo que está a chegar ao fim. Paulo Guinote, autor do blogue A Educação do Meu Umbigo, está a tentar saber como definem os professores o ano lectivo em curso, o primeiro pós-Maria de Lurdes Rodrigues. A sondagem foi colocada na sexta-feira e no primeiro dia responderam 1266 docentes. Podem escolher três hipóteses. A maioria optou por “desânimo”. Os outros termos mais votados, por agora, são “impasse” (25,1 por cento) e “tristeza” (19,6 por cento. Seguem-se-lhe “rotina” ( 8 por cento) e “solidão” (6,9 por cento”. Outras hipóteses; alegria, companheirismo, excelência, luta, motivação, rigor. Alguns comentários:


- “Foi um ano (quase) perdido”;

- “Honestamente, acho-me muito pior professora. Não dou conta da burocracia, não suporto o barulho, não tenho paciência, (...) não suporto as reuniões (...). Os apoios são uma falácia, deram-me 17 alunos de turmas que não são minhas. As aulas de substituição são outra inutilidade(...)”

- “Sinto que tudo o que digo ou proponho não encaixa nesta nova forma de ser professor, em quês e vai à escola, não por causa dos alunos mas para ser visto a dizer e fazer ‘boa figura’ para as ‘forças vivas da comunidade’ apoiarem”

{backbutton}