307419A Câmara Municipal de Alenquer vai interpor uma providência cautelar para impedir a constituição de um mega agrupamento de escolas integrando o agrupamento de escolas Pero de Alenquer e a secundária Damião de Góis. O processo de fusão dos estabelecimentos de ensino juntam cerca de 2500 alunos (Enric Vives-Rubio) A proposta foi avançada por pelo vereador Nuno Coelho, da Coligação pela Nossa Terra (que integra o PSD, CDS-PP, PPM e MPT), que em comunicado critica “a postura autista do ministério da Educação” face à constituição do mega agrupamentos.O executivo deliberou, por unanimidade, na última reunião de câmara (segunda-feira) avançar com a providência cautelar para parar a fusão entre a secundária Damião de Góis.

E o agrupamento que constituído pelo Jardim de Infância de Santana da Carnota, centro escolar de Paredes e as escolas básicas de 1.º ciclo de Alenquer, Camarnal, Cheganças, Eiras, Pipa, Santana da Carnota.A autarquia tinha aprovado, no início de Julho, uma moção de protesto contra a forma como está a ser desenvolvido o processo de fusão dos estabelecimentos de ensino que juntam cerca de 2500 alunos.Na altura, o presidente da câmara, Jorge Riso (PS), justificou a rejeição pelo facto de a autarquia não ter sido ouvida.

{backbutton}