saramago180512
"Escrevo para desassossegar os meus leitores", disse José Saramago, pela última vez, na apresentação do seu romance "Caim". E o dia 16 de novembro, data do nascimento de José, será doravante o Dia do Desassossego, numa iniciativa da Fundação José Saramago.

A Biblioteca Municipal António Teixeira de Carvalho (Cabeceiras de Basto) assinala, no dia 16 de novembro, o nonagésimo aniversário do nascimento de José Saramago. Os objetivos fundamentais da iniciativa são os seguintes: - lembrar a importância do autor (Prémio Nobel da Literatura em 1996); promover o conhecimento e a leitura de grandes obras da literatura portuguesa; refletir sobre o papel da literatura como enunciação ética do mundo e da vida; dinamizar culturalmente a comunidade.

Para além de uma exposição com algumas das principais obras de José Saramago, a celebração contará ainda com uma comunicação do professor Joaquim Jorge Carvalho sobre a vida e a obra do escritor. Esta comunicação, intitulada: "José Saramago - o conto e canto da ilha desconhecida", terá lugar no Auditório da Biblioteca, pelas 10h20m, destinando-se a alunos do nono ano da Escola Básica de Arco de Baúlhe. Durante cerca de uma hora, o professor recordará alguns dos aspetos fundamentais da narrativa saramaguiana, que frequentemente consubstancia esse poder mágico da metáfora como enunciação e revelação do mistério da humanidade.

Um pouco por todo o país e também a nível internacional, na restante Europa e Américas, serão várias as celebrações dos 90 anos de Saramago, nomeadamente em Nova Iorque, com a exibição do filme "José Pilar", de Miguel Gonçalves Mendes, conferências e vídeos. A Casa dos Bicos em Lisboa será a sede destas comemorações na capital portuguesa, com um conjunto de iniciativas muito diversificadas.

{backbutton}