O espólio de Sophia de Mello Breyner Andresen será hoje oficialmente doado pela família da escritora à Biblioteca Nacional, em Lisboa, onde se inaugura também uma exposição sobre a sua vida e obra. Na cerimónia - que se inicia pelas 16h00 e contará com a presença da ministra da Cultura, Gabriela Canavilhas - será assinado o termo de doação do espólio de Sophia (1919-2004).

"São cadernos e folhas soltas com rascunhos e diferentes versões de vários tipos de textos, esboços de projectos, traduções; são cartas, agendas cheias de notas sobre afazeres do dia-a-dia (números de telefone, receitas de cozinha, contas domésticas), diários de viagem, desenhos, recortes de jornais com depoimentos e entrevistas, fotografias; são impressos que documentam gestos de solidariedade e envolvimento cívico e político", descreveu Maria Andresen, filha da poetisa. Maria Andresen considera que "uma parte mais interessante do espólio" foi a descoberta "surpreendente", no fundo de um móvel meio abandonado, de vários cadernos, "os mais antigos cadernos de poemas" datados entre 1932 e 1941. "Contêm os primeiros esboços de poemas, tentativas adolescentes que remontam aos 12, 13 anos. E contêm, em manuscrito, muitos dos poemas que viriam a ser publicados ao longo da vida". Sophia de Mello Breyner Andresen nasceu no Porto a 6 de Novembro de 1919 e morreu em Lisboa a 2 de Julho de 2004.
{backbutton}