LOGO RBBB

Eventos

RBB nas Redes Sociais

facebook-logo twitter-logo delicious-logo youtube-logo

Google







A Google fez concessões no projecto de digitalizar livros de todas as partes do mundo. Na sexta-feira, foi apresentada uma nova versão do acordo que tem estado a ser discutido com os representantes dos autores e da indústria livreira americana. No novo modelo, só serão colocadas online obras dos EUA, Canadá, Reino Unido e Austrália. Desde 2005 que a Google está a tentar chegar a um acordo com os representantes da indústria nos EUA. Mas países como a França e Alemanha já tinham protestado por não se sentirem representados nas negociações e argumentavam que os planos da Google violavam as leis internacionais relativas a questões de direitos de autor.

Para além de digitalizar livros que estão no domínio público, a Google quer também colocar online obras para as quais não é fácil determinar os detentores de direitos - são as chamadas obras órfãs. O princípio é o de digitalizar e publicar primeiro, e partilhar lucros com os detentores de direitos depois, caso estes o reivindiquem. Os detentores dos direitos podem também ordenar a remoção das obras. A ideia inicial da Google era digitalizar obras de autores de qualquer país que estivessem em bibliotecas dos EUA. O princípio de digitalizar sem procurar os detentores de direitos ainda se mantém na nova proposta de acordo - mas o novo modelo determina uma restrição geográfica e os livros de fora do mundo anglófono não serão colocados online. O serviço vai também estar disponível apenas para cibernautas dos EUA e o documento especifica ainda que tipo de serviços a Google poderá associar às obras digitalizadas. O projecto Google Books tem tido entre os opositores alguns nomes de peso. Para mais informações clique em:
{backbutton}